BOLETIM INFORMATIVO EPDEMIOLÓGICO DE DENGUE – 2022

BOLETIM INFORMATIVO EPDEMIOLÓGICO DE DENGUE – 2022

Acompanhe os casos de dengue notificados no 1° semetre de 2022.

Doença infecciosa febril aguda, que pode ser de curso benigno ou grave, dependendo da forma como se apresente. A primeira manifestação da Dengue é a febre, geralmente alta ( 39̊C a 40̊ C), de inicio abrupto, associada a dor de cabeça, dor generalizada, dor nas articulações, dor na região do olhos, exantema, purido, náuseas, vômitos, diarréia e falta de apetite podem ser observados por 2 a 6 dias. As manifestações hemorrágicas, como sangramento pelo nariz, petéquias, sangramento pela gengiva, metrorragia, vômito com sangue, sangramento nas fezes (geralmente a fezes ficam com odor fétido e de coloração preta), sangramento na urina, plaquetopenia, essas manifestações de sintomas podem ser observadas em casos de Dengue. Alguns pacientes podem evoluir para formas graves das doenças e passam a apresentar sinais de alarme da Dengue, principalmente quando a febre cede, precedendo manifestações hemorrágicas mais graves. É importante ressaltar que o fator determinante nos casos graves de dengue é o extravasamento plasmático, que pode ser expresso por meio da hemoconcentração, hipoalbuminemia e/ou derrames cavitários. As manifestações clinicas iniciais da Dengue grave denominada de Dengue hemorrágica são as mesmas descritas nas formas clássicas da doença.
Entre o terceiro e sétimo dia do seu início quando, da defervescência da febre, surgem sinais e sintomas como vômitos importantes, dor abdominal intensa, hepatomegalia dolorosa, desconforto respiratório, letargia, derrame cavitários, que indicam a possibilidade de evolução do paciente para formas de Dengue hemorrágica. A Dengue em criança na maioria das vezes apresenta-se como uma síndrome febril com sinais e sintomas inespecíficos: apatia, sonolência, recusa da alimentação, vômitos, diarréia ou fezes amolecidas
Fonte: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica.
Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso/ Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. -8. ed. rev. – Brasileira: Ministério da Saúde, 2010.
448p: II. – (Série B. Textos Básicos de Saúde).